Ver Angola

Economia

Capital Economics diz que recessão motiva manutenção da taxa de juro nos 15,5 por cento

O analista da Capital Economics que segue Angola considerou à Lusa que o Banco Nacional de Angola (BNA) decidiu manter a taxa de juro devido aos maus resultados da economia, antecipando uma subida este ano.

:

"A fraqueza dos recentes números sobre a evolução do Produto Interno Bruto deverá ter influenciado a decisão do banco central de manter a taxa de juro nos 15,5 por cento", disse à Lusa John Ashbourne, que na Segunda-feira tinha previsto que a taxa ia subir para 16,5 por cento.

O analista vincou que “devido às grandes quebras da moeda” a consultora continua “a prever que a inflação vai aumentar este ano e que o BNA vai subir a taxa de juro".

Na Segunda-feira, o BNA anunciou que decidiu manter a taxa de juro de referência nos 15,5 por cento, e na conferência de imprensa que se seguiu à reunião do Comité de Política Monetária, José de Lima Massano salientou “a manutenção do processo desinflaccionista que permitiu o alcance do objectivo de inflação anual, não obstante o aumento de tarifa de energia a introdução do IVA, do imposto especial de consumo, bem como da depreciação cambial ocorrida particularmente no ultimo trimestre de 2019”.

Já esta Quarta-feira, o gabinete de estudos económicos do Banco de Fomento Angola (BFA) estimou que a inflação suba até aos 24 por cento até final do ano, partindo dos 16,9 por cento de Dezembro.

Em resultado disso, lê-se na nota informativa a que a Lusa teve acesso, a política monetária deverá manter-se restritiva, servindo igualmente para conferir estabilidade ao mercado cambial.

“O BNA continua a manter um equilíbrio delicado entre a política cambial e a política monetária, sendo que as atuais perspectivas para a inflação nos próximos meses são negativas, não dando margem para qualquer alívio”, lê-se na nota.

O documento adianta ainda que “as actuais ferramentas são adequadas para lidar com a gestão da liquidez, com o BNA a regular a cedência de liquidez ao mercado consoante considera necessário para um normal funcionamento do mesmo”.

Relacionado