Ver Angola

Defesa

Julgamento de polícia que matou Juliana Cafrique arrancou esta Sexta-feira

Gonçalo Sacala Canga, de 36 anos, vai ser julgado pelo crime de homicídio voluntário. O agente é acusado de ter morto a tiro a vendedora ambulante Juliana Cafrique, no dia 12 de Março de 2019, no Bairro do Rocha Pinto.

:

O julgamento do agente da Polícia Nacional que matou a "zungueira" Juliana Cafrique, em Março de 2019, arranca esta Sexta-feira.

O Tribunal Provincial de Luanda já tinha agendado uma data para o começo do julgamento em Dezembro de 2019. No entanto, a sessão de arranque acabou por ser adiada para dia 10 de Janeiro, segundo revelou fonte do tribunal ao NJOnline.

Gonçalo Sacala Canga, de 36 anos, vai ser julgado pelo crime de homicídio voluntário. O agente é acusado de ter matado a tiro a vendedora ambulante Juliana Cafrique, no dia 12 de Março de 2019, no Bairro do Rocha Pinto. De acordo com a acusação, o Gonçalo Canga estava a fazer uma ronda de patrulhamento naquele bairro, quando reparou que existia uma venda irregular naquela zona. Rapidamente o agente, juntamente com os colegas que o acompanhavam, começaram a apreender os bens das vendedoras, colocando-os na sua viatura.

No meio da confusão, Juliana Cafrique resistiu à polícia, tendo-se recusado a sair do local. Perante a resiliência da vendedora, os agentes decidiram passar com o seu carro por cima dos bens da vendedora, tendo-lhe arruinado as vendas.

Os caos instalou-se no local e os vendedores continuaram a resistir às ordens da polícia. Estes começaram a retirar os bens da viatura da polícia. É nesse momento, que o agente agora a ser julgado, decidiu sacar da sua arma e disparar dois tiros, tendo um deles atingido mortalmente a vendedora Juliana Cafrique, de 29 anos.

Os vendedores, vendo o sucedido, ficaram revoltados com os agentes, e começaram a arremessar pedras.

Na altura, o então director da polícia pediu desculpa pelo sucedido, adiantando que nada justificava a morte de Juliana Cafrique. Já o comandante-geral da Polícia Nacional pediu desculpas à família da vendedora.