Ver Angola

Transportes

Novas aeronaves vão operar no sector petrolífero angolano num investimento de cerca de 56 milhões de dólares

As empresas Turaco Aviation, de Angola, e Falcon Aviation Servisses, dos Emirados Árabes Unidos, firmaram uma parceria para operações aéreas no sector petrolífero angolano, num investimento de cerca de 56 milhões de dólares, anunciou esta Terça-feira fonte empresarial.

: Platinaline
Platinaline  

Segundo o director-geral da Turaco Aviation, Albano da Costa, no âmbito desta parceria deverão ser adquiridas três aeronaves (helicópteros), a primeira das quais está já em Angola, desde a semana passada, e deverá entrar em funcionamento em Janeiro de 2022.

"O nosso propósito é servir o sector petrolífero visto que o nosso mercado é muito favorável para estas operações de 'offshore' e, então, existindo poucos operadores e a Turaco sendo uma empresa recentemente criada, tivemos que procurar parceiros com uma vasta experiência nas operações 'offshore' e a Falcon Aviation oferece este quesito", afirmou o responsável.

Em declarações à Lusa, Albano da Costa revelou que a parceria foi firmada em Janeiro de 2021 e "não tem um limite de vigência", estando prevista, numa primeira fase, a aquisição de três aeronaves.

"Temos a primeira aeronave que chegou na passada Quarta-feira ao país e que deverá entrar já em funcionamento em Janeiro [de 2022] tão logo terminemos o nosso processo de certificação, por ser a primeira do seu tipo, e prevemos receber uma segunda num período de 90 dias e por último adicionarmos uma terceira", explicou.

Cerca de 56 milhões de dólares é o investimento inicial, no âmbito desta parceria, como referiu o director-geral da Turaco, incluindo os custos de cada helicóptero avaliado em 10 milhões de dólares cada.

A empresa angolana deverá igualmente adicionar na sua frota "aeronaves de asa rotativa, ou seja, de asa fixa e fazer voos também cargueiros internacionais para a colheita de mercadorias em pontos do mundo para Angola e em trânsito", frisou.

Apesar da existência de outros operadores neste segmento petrolífero, "que é muito atractivo e está em recuperação, a parceria nesse domínio surge para responder à demanda uma vez que o mercado é vasto".

"O que nos diferencia, em primeiro lugar, é a experiência que a Falcon Aviation traz, porque a Falcon já operou no Kuwait e em vários outros países, é reconhecida a nível mundial como uma das melhores nas operações de helicóptero para o sector petrolífero", rematou Albano da Costa.