Banco Mundial aprova projecto de 50 milhões para impulsionar agricultura

O Conselho de Administração do Banco Mundial aprovou um projecto no valor de 50 milhões de dólares para aumentar a disponibilidade de tecnologias agrícolas em Angola e no Lesoto, indica um comunicado da instituição.
:
  

O projecto enquadra-se no âmbito do programa em curso de Productividade Agrícola para a África Austral (APPSA), financiado pelo Banco Mundial, e que engloba outros países na região, como Moçambique, Malaui e Zâmbia.

O foco do APPSA na tecnologia agrícola contempla a necessidade de melhorar a competitividade e a resiliência da agricultura africana, utilizando a integração regional como um mecanismo central para se alcançarem maiores taxas de crescimento e de redução da pobreza, lê-se no documento.

Apesar de se ter registado um aumento da produtividade agrícola na África Austral, os rendimentos médios de Angola e do Lesoto são considerados "ainda abaixo da média regional", pelo que o projecto deverá contribuir para reduzir o fosso por meio de investimento adicional em disseminação e adaptação à tecnologia.

"Este projeto vai ajudar os investigadores, agricultores, extensionistas agrícolas, distribuidores de fatores de produção e utilizadores finais em Angola e no Lesoto a reforçarem os elos entre si e com os outros países participantes", disse Mark Cackler, gestor do Área de Práticas Agrícolas do Banco Mundial.

O Banco Mundial, acrescentou, está em consonância com o objectivo duplo de ajudar a reduzir a pobreza extrema e promover a prosperidade partilhada nos países abrangidos.

A agricultura continua como principal fonte de subsistência, emprego e rendimento para a maioria dos 330 milhões de habitantes da África Austral. Contudo, apesar da fertilidade da terra e dos recursos hídricos, a produtividade do sector ainda está por ser plenamente explorada, o que tem prejudicado a transformação económica.

Segundo o documento, as actividades financiadas no âmbito do APPSA incluem a geração de tecnologia e atividades de disseminação de Investigação e Desenvolvimento Inovadores (R&D) associadas com grupos de produtos ("commodity") ou temas de tecnologia visados pelos países participantes, bem como o reforço do ambiente institucional propício para a adaptação à tecnologia nestes países.

As actividades estão em linha com os programas e políticas regionais, incluindo a Política Agrícola Regional (RAP) da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) e o Programa Integrado para o Desenvolvimento da Agricultura em África (CAADP) da União Africana (UA), de acordo com o documento.

O comunicado adianta que, para o financiamento do Banco Mundial, contribuíram o Banco Internacional para a Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD), com 25 milhões de dólares e a Associação Internacional de Desenvolvimento (IDA), com 20 milhões de dólares.

Os restantes cinco milhões de dólares surgem do Centro de Coordenação da Agricultura na África Austral (CCARDESA), na qualidade de facilitador da parceria.

Mais Lidas

Cláudia Rodrigues Coutinho:
De Luanda para o Mundo