Mais de 680 doentes com tuberculose abandonaram o tratamento em hospital de Luanda

Pelo menos 680 pacientes abandonaram o tratamento para a tuberculose no Hospital Sanatório de Luanda (HSL), maior do país na especialidade, situação considerada "bastante preocupante" pela direcção da unidade, que aponta uma redução de mortes no primeiro semestre de 2019.
:
  

"No nosso hospital, estamos a falar em mais de 4000 casos que seguimos e registamos quase 17 por cento de abandono de pacientes ao tratamento, o que é bastante preocupante", disse à Lusa o director-geral da unidade hospitalar, Rodrigues Leonardo.

Segundo o médico, o abandono do tratamento da tuberculose a nível de Angola "é ainda um problema sério, situação que faz com que os doentes depois se tornem fármaco-resistentes”. O responsável realçou que esta "é uma problemática conhecida".

"Medidas estão a ser tomadas, principalmente de aconselhamento, educação às populações, envolvimento da sociedade civil, de formas a que se consiga fazer o tratamento directamente observado", apontou.

Falando no âmbito da sexta jornada científica do HSL, que se realiza esta Sexta-feira, em Luanda, Rodrigues Leonardo deu conta de que o quadro estatístico da doença no país "não melhorou", recordando que "há dois anos a tuberculose passou a ser a terceira causa de mortes no país".

A malária é a principal causa de mortes no país e de internamentos nos hospitais, seguida dos acidentes de viação.

Sem especificar, o responsável notou que as estatísticas do hospital que dirige registam uma clara redução da mortalidade por tuberculose: "No último semestre de 2018, estávamos com 30 por cento e no primeiro semestre de 2019 reduzimos para cerca de 27 por cento".

A importância da implementação de um sistema de qualidade no diagnóstico da tuberculose, caracterização clínica e epidemiológica de pacientes com tuberculose pulmonar no HSL, comportamento clínico e nutricional em pacientes co-infectados tuberculose/VIH-Sida no HSL são alguns dos temas que serão abordados no encontro.

Para o director geral do Hospital Sanatório de Luanda, a temática sobre tuberculose/VIH/Sida "continua preocupante" porque, observou, muitos doentes acometidos de VIH morrem por doenças oportunistas "e a mais relevante é a tuberculose".

"E havendo a prevalência que temos de VIH no país é de esperar que muitos desses doentes sejam acometidos por tuberculose", concluiu.

Mais Lidas