Transformar volume em valor é “calcanhar de Aquiles” das petrolíferas em África

O analista Adam Pollard, da consultora WoodMac, considerou que as reservas de petróleo e gás na África subsaariana são gigantes, mas notou que convertê-las em valor é o "calcanhar de Aquiles" da região.
:
  

"A região ainda atrai grandes e pequenos exploradores, mas como a maioria das descobertas é de gás, transformá-las em projectos viáveis provou ser muito mais difícil", disse o líder da equipa de consultores dedicada a África.

Numa nota enviada aos investidores a propósito da Oil & Gas Week, que se realiza esta semana na Cidade do Cabo, e a que a Lusa teve acesso, a consultora WoodMac escreve que "os mais de 500 milhões de barris foram principalmente encontrados nas águas tropicais de Moçambique e Tanzânia, no Senegal e na Mauritânia, na Nigéria e até no Congo e Angola".

Das 25 descobertas dos últimos anos, 14 não têm viabilidade comercial, seja pelo excedente de gás na África oriental, pelo trabalho que comportam ou por falta de soluções de desenvolvimento viáveis, diz a WoodMac, apontando que "converter volume em valor é, sem dúvida, o 'calcanhar de Aquiles' da África subsaariana".

Ainda assim, "muitas bacias estão ainda por explorar e os baixos custos de entrada nesta geografia tornam a África subsaariana como um bom lugar para criar valor", e por isso, conclui o analista, "aconteça o que acontecer nos próximos dez anos, a África subsaariana vai continuar no centro da exploração global".

Mais Lidas