Ver Angola

Energia

Construção das barragens de Calucuve e Ndué arrancou esta Quinta-feira

A ministra de Estado para a Área Social, Carolina Cerqueira, procedeu, esta Quinta-feira, ao lançamento da primeira pedra das barragens de Calucuve e Ndué, assinalando assim o arranque da construção destes dois projectos.

:

A ser erguida na bacia de Cuvelai, a barragem de Calucuve vai ser composta por um conjunto de canais que se estenderão por 11 quilómetros e mais 44 chimpacas.

A barragem, que está avaliada em 96.420.460.427 kwanzas, deverá ser concretizada num horizonte temporal de dois anos, escreve a Angop.

O outro projecto também vai ser construído na bacia do Cuvelai, mas na região do Rio Ndué. Para esta barragem, o Estado deverá desembolsar 85.199.661.556 kwanzas.

Segundo a Angop, a barragem Ndué vai ser composta por uma rede de canais adutores que se estenderão por 75 quilómetros e mais 15 chimpacas.

Estas duas barragens são dois dos cinco projectos estruturantes que serão concretizados no âmbito do combate à seca no Cunene.

Já com a construção em curso há cerca de um ano, encontra-se o Sistema de Captação no Rio Cunene, através da zona do Cafu. Este projecto, que se estima ficar pronto em Fevereiro do próximo ano, está orçado em 44.358.360.651 kwanzas.

Este sistema irá abranger dois canais: um que ligará o Cuamato a Ndombondola e outro que irá do Cuamato a Namacunde, com 55 e 53 quilómetros, respectivamente, além de 10 chimpacas.

Feitas as contas, quando os três projectos estiverem terminados existirá uma rede de canais com 344 quilómetros, uma estação de bombagem e 89 chimpacas na região.

A barragem de Calucuve e o Sistema de Captação serão capazes de armazenar 100 milhões de metros cúbicos de água, cada um. Já a barragem de Ndué vai conseguir armazenar 145 milhões de metros cúbicos de água, escreve a Angop.

Além destes três, consta também nos planos a construção de um projecto de transferência de águas para as zonas situadas na margem direita do Rio Cunene e ainda a recuperação da represa da Cova do Leão.

Segundo a Angop, também está prevista a reabilitação de diques e açudes situados no município do Curoca.