Governo vai gastar 380 milhões em 16 obras no sector da saúde

O Governo desbloqueou mais de 115 mil milhões de kwanzas (380 milhões de dólares) para a concretização de 16 projectos na área da saúde, incluindo a construção e apetrechamento de hospitais, armazéns centrais e outras infra-estruturas públicas.
:
  

O valor insere-se num despacho presidencial de final de Setembro, a que a Lusa teve acesso, e autoriza a abertura da contratação simplificada para a execução de projectos, uma medida que pretende, lê-se no documento, "melhorar a assistência e o acompanhamento médico aos doentes".

Mais de metade do valor será utilizado na construção e apetrechamento do hospital provincial de Kwanza-Sul e do hospital materno-infantil do Huambo, com cada um deles a estar orçado em 27,56 mil milhões de kwanzas.

Uma outra grande parte do orçamento – 20.398 milhões de kwanzas – será utilizada na construção e apetrechamento do hospital de MBanza Congo, capital da província do Zaire.

O Governo autorizou ainda a construção do Laboratório Nacional de Controlo de Qualidade e de Medicamentos, avaliada em 13.782 milhões de kwanzas, do Centro de Hemodiálise do hospital de Cabinda, orçada em 4331 milhões de kwanzas e a reabilitação do Hospital Neves Bendinha, em Luanda, com custos estimados de 4.523 milhões de kwanzas.

Dois armazéns centrais vão também ser construídos, um em Luanda e outro em Benguela, com um custo total de 2945 mil milhões de kwanzas.

O decreto assinado pelo Presidente João Lourenço prevê igualmente a construção e/ou apetrechamento de várias unidades hospitalares nas províncias de Bié, Cuanza-Norte, Cuanza-Sul, Cunene, Huambo, Namibe, Uíge.

À semelhança do investimento de 230 milhões de dólares para obras em seis estruturas hospitalares, que a Lusa noticiou em 15 de Setembro último, também este despacho enquadra-se com as prioridades definidas no Plano de Desenvolvimento Nacional 2018-2022, do Governo.

Mais Lidas