Ver Angola

Economia

Banco Nacional de Angola prevê inflação de 27 por cento em 2021

O governador do Banco Nacional de Angola (BNA), José Lima Massano, afirmou esta Quinta-feira que a inflação acumulada em Angola deve atingir 27 por cento no final do ano, estimando que só a partir de 2022 se registe uma inflexão desta tendência.

:

O anúncio foi feito após a reunião do comité de política monetária do BNA em que o governador do banco central fez uma síntese da situação macroeconómica nacional e internacional e das perspectivas futuras.

Lima Massano indicou que as pressões inflacionárias se mantiveram no segundo trimestre, em níveis superiores a 25 por cento, com a inflação a fixar-se nos 26,9 por cento em Agosto, devido sobretudo à subida dos preços dos bens alimentares.

O governador do BNA estimou assim que a inflação atinja 27 por cento no final do ano, havendo diminuição apenas a partir de 2022.

"A conjugação do aumento dos preços nos mercados internacionais e a manutenção dos factores que determinam o comportamento dos preços no mercado interno, não obstante o quadro de estabilidade cambial, perspectivam a continuação de pressões inflacionistas no curto prazo".

Assim, para 2021 prevê-se agora "uma inflação acumulada no ano em torno de 27 por cento e um cenário de inflexão na trajectória da inflação a partir de 2022", justificou.

Ainda assim, Lima Massano considerou que as medidas tomadas têm sido as mais adequadas, pelo que se vão manter as actuais taxas de juro nos 20 por cento, a taxa de cedência de liquidez nos 25 por cento e a taxa de absorção de liquidez nos 15 por cento e os coeficientes das reservas obrigatórias inalterados nos 22 por cento.

Em Maio, o comité de política monetária já tinha revisto o valor da taxa de inflação, de 18,7 por cento para 19,5 por cento.

A variação mensal do Índice de Preços no Consumidor Nacional (IPCN) tem-se fixado nos últimos meses em níveis superiores a 2 por cento, impulsionada maioritariamente pela classe de alimentação e bebidas não-alcoólicas, que no acumulado dos últimos cinco meses representou em média cerca de 70 por cento da inflação total, segundo Lima Massano

Em termos acumulados, a taxa de variação do IPCN até Agosto de 2021, fixou-se em 16,88 por cento e a taxa de inflação homóloga (últimos 12 meses), situou-se em 26,09 por cento, impulsionada pela classe de alimentação e bebidas não-alcoólicas, cuja variação foi de 32,39 por cento.

Relacionado