Ver Angola

Economia

Concessão de crédito cresce mais de oito por cento no último ano

Os dados foram avançados por José de Lima Massano, governador do Banco Nacional de Angola (BNA): a concessão de crédito no país registou um crescimento na ordem dos 8,4 por cento nos últimos 12 meses.

:

De acordo com o responsável, esta percentagem corresponde a cerca de 14,12 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) não petrolífero, tendo um peso de 17 por cento do activo da banca comercial.

José de Lima Massano abordou o assunto esta Terça-feira, em Luanda, durante a abertura da primeira edição do workshop "As empresas e o mercado de valores mobiliários", que decorrerá até à próxima Quinta-feira. O responsável máximo do banco central adiantou que a concessão de crédito tem vindo a ser retomada de forma gradual.

No que diz respeito a títulos e valores mobiliários, adiantou que estes constituem um peso de 33,63 por cento, sendo a rubrica de maior expressão no activo da banca, mas representada exclusivamente por emissões do Tesouro Nacional.

Desta forma, adiantou ser essencial a necessidade de serem potenciadas outras fontes de financiamento para o sector privado: "O alargamento das fontes de financiamento, a diversificação do risco e a redução dos custos de intermediação, potenciados pelo financiamento directo, são factores de competitividade que contribuem para o crescimento económico", referiu o governador, citado pela Angop.

Massano referiu ainda que o mercado de valores imobiliários só será capaz de responder às necessidades de financiamento das empresas, se os investidores puderem dispor de um mercado secundário líquido, transparente e eficiente.

"Com o enquadramento regulamentar, de supervisão e fiscalização, bem como de infraestruturas físicas e tecnológicas para a negociação e liquidação das transacções, torna-se agora necessário atrair empresas emissoras de valores mobiliários para capitalizar o mercado e os investidores", acrescentou.

O governador disse ainda esperar que o processo de privatizações em curso encaminhe para a bolsa de valores algumas empresas, sendo que estas poderão atrair investidores nacionais e estrangeiros.