Ver Angola

Tecnologia

Manifesto, a aplicação angolana para as notícias portuguesas

Zedilson Almeida sempre gostou de ler notícias. No seu smartphone descarregava várias aplicações – estrangeiras – que lhe contavam o que se passava no mundo. Mas e em Angola? Não existia nada igual. A partir daí, tecnologia e informação aliaram-se em torno da lusofonia e fizeram nascer o Manifesto. O objectivo é simples: convergir todas as notícias de fontes de expressão portuguesa num só local.

:

Deixar de andar de site em site à procura de notícias, agora agregadas numa aplicação, e sem ter pagar “um único tostão”. O Manifesto tornou-se num dos downloads favoritos dos angolanos. Provou-o ao concorrer ao Seedstars Luanda, com uma entrada directa no Top 10. A oportunidade de interagir com empreendedores e talentosos, trocar impressões e ideias deu força ao projecto. Vem aí a versão 2.0 do Manifesto, recheada de novidades. Até lá, “relaxem e vão lendo as notícias no Manifesto que logo terão novidades”, aconselha Zedilson.

Como e quando surgiu a ideia da criação de uma aplicação agregadora de notícias?

A ideia do Manifesto surgiu em Junho de 2014, quando eu e o meu primo Rafael Afonso estávamos a conversar sobre um projecto que o mesmo estava a perseguir na altura. Após escutar com atenção os seus planos a acções, partilhei a minha opinião de que seria muito difícil de implementar o projecto e ter frutos devido a alguns factores externos e aproveitei para partilhar com ele a minha ideia, visto que tinha acabado de regressar a Angola e estava a ter algumas dificuldades no que toca ao acesso de notícias de fontes angolanas. Na altura tinha acabado de instalar a aplicação da CNN e adorava algumas das funcionalidades da mesma e queria criar algo direccionado para o público angolano pois acreditava que existia um gap no mercado.

Quais são os vossos objectivos e como marcam a diferença relativamente a outras aplicações já existentes?

O objectivo principal do Manifesto é o de convergir todas as notícias de fontes de expressão portuguesa para um só local, disponibilizando toda essa informação para os utilizadores de uma maneira simples e eficaz e contribuindo assim para que os leitores fiquem mais envolvidos sobre tudo o que se passa nas suas comunidades, cidades, país, continente e mundo, sem que tenham de pagar um único tostão.

Marcamos a diferença quando comparando com a nossa concorrência pois somos os únicos que oferecemos todas estas funcionalidades numa só aplicação: app e artigos em português, funcionalidades de curtir, comentar e partilhar artigos, app minúscula com menos de 5MB; acesso a várias fontes e com um design inovador.

Que funcionalidades têm disponíveis para os utilizadores da aplicação?

Os utilizadores do Manifesto têm acesso apenas as fontes mais populares do mercado. Existe um mecanismo de registo completamente anónimo, uma ferramenta simples que possibilita a partilha directamente para as redes sociais mais populares (Facebook, Whatsapp, Skype, etc.). Há também uma categorização das notícias por tópico e a possibilidade de curtir e comentar artigos, para além de ser totalmente grátis!

De que forma garantem a fiabilidade da informação que disponibilizam?

Infelizmente, de momento não temos muito controlo sobre a fiabilidade das informações, visto que apenas transmitimos o que é publicado originalmente pelas fontes e damos crédito às fontes pois não estamos a plagiar as notícias. Não obstante a isso, garantimos que a informação é publicada conforme na fonte de origem, sem alterar uma vírgula sequer.

Quais são os critérios para a selecção das notícias e quem a faz?

Não seleccionamos as notícias, mas sim as fontes. Ou seja, procedemos a uma avaliação das fontes mais populares no mercado e se for suficientemente popular e tiver aceitação no mercado, assim como oferecer notícias credíveis, adicionamos à nossa base de dados, assim como as categorias que mais nos interessam. Após inclusão na nossa base de dados, a monitorização é feita de forma automática a cada 15 minutos, o que significa dizer que o utilizador não se tem que preocupar em actualizar manualmente a aplicação e ter mais tempo para se concentrar no que mais importa, ler as notícias.

O Seedstars World é uma competição prestigiada que distingue os melhores dos melhores. Foi por isso que decidiram concorrer?

Sem dúvida! Achamos que seria interessante participar do Seedstars World não só devido à visibilidade que nos proporcionaria, mas também porque nos iria proporcionar a oportunidade de nos introduzirmos na comunidade angolana de startups e a estarmos mais alinhados com a nossa actual realidade. Em adição, também achamos interessante colher as melhores práticas utilizadas em todo mundo de forma a que pudéssemos estar alinhados e melhor preparados para o futuro.

Como encararam a concorrência deste ano? Angola está recheada de jovens empreendedores talentosos?

A competição foi muito renhida este ano, sabíamos que teríamos de nos esforçar ao máximo para que pudéssemos sobressair, uma vez que tivemos muitas startups com ideias bastante inovadoras. Está sim, e foi fascinante participar neste evento e poder interagir com jovens como nós, empreendedores e talentosos, trocar impressões e ideias.

Apesar de não terem sido a startup vencedora, ficar entre as 10 finalistas é um motivo de orgulho. O que faltou para conseguir representar o nosso país no Seedstars World?

Sem dúvida, participar e poder apresentar o Manifesto ao mundo foi sem dúvida bastante importante para nós. Faltou-nos foi mais tempo e prática para podermos aperfeiçoar a apresentação, assim como melhorar a nossa abordagem e estilo de apresentação. Numa próxima já estaremos mais preparados.

De que forma a vossa participação no evento foi benéfica para o vosso projecto?

A participação no Seedstars World era exactamente o que nós precisávamos para lançar o nosso projecto, assim como conhecer potenciais investidores que acreditassem no nosso projecto e façam acontecer. Tivemos uma boa exposição para algumas entidades e inclusive tivemos algumas reuniões após o evento, as quais foram cruciais quer na perspectiva de obtenção de fundos, mas mais importante ainda foi receber feedback quanto a alguns pontos que visam a melhoria do Manifesto e assim aumentar as nossas probabilidades de sucesso.

Quais os vossos planos para o futuro? Há novidades a caminho?

Como disse acima, estamos neste momento a finalizar algumas negociações que irão resultar na criação da versão 2.0 do Manifesto. Esta versão irá incluir muitas funcionalidades que estavam planeadas desde o início, mas que por falta de fundos não nos foi possível implementar, assim como algumas outras que fomos formulando conforme temos vindo a colher feedback da nossa base crescente de utilizadores. Por isso, relaxem e vão lendo as notícias no Manifesto que logo terão novidades!