The One: nova aposta televisiva procura o maior talento do basquetebol angolano

Chama-se “The One by Sprite” e é nada mais, nada menos, que um talent show. O objectivo? Descobrir um novo talento angolano para o basquetebol. O programa conta com o apoio da Sprite e da Movicel, que estão empenhadas em ver os talentos nacionais brilhar entre os melhores do mundo.
:
  

Apesar de possuir 11 títulos de campeão africano de basquetebol, Angola não tem nenhum jogador no mais importante campeonato da modalidade: a NBA. O objectivo do programa é construir um acervo de talentos para fortalecer o desenvolvimento do basquete, assim como criar redes de contactos e promover o Basquetebol angolano nos EUA.

Todos os testes e desafios propostos são os usados nos treinos da NBA e nunca foram usados em Angola. Os candidatos passarão primeiro por uma triagem que irá fazer a selecção dos melhores 32 jogadores que competirão entre si pelo título de The One.

A avaliação e a selecção é feita por um teste antropométrico: envergadura, altura, força, velocidade e agilidade. Posteriormente, já durante a competição, as habilidades técnicas também serão avaliadas: ataque, dribles, passes e defesa.

Apresentado por Carlos Paca e por Helka Guimarães, o programa contará com um trio de avaliação bem conhecido do grande público: Carlos de Morais, Miguel Lutonda e Olímpio Cipriano serão os jurados do The One by Sprite. Paulo Fernandes será o preparador físico dos concorrentes.

Num total de 13 episódios, o programa terá 45 minutos e será exibido semanalmente pela TPA2, durante 13 semanas. O jovem que conseguir conquistar o título de The One irá ter a oportunidade de treinar durante dois meses na Jason Wright School, uma das mais conceituadas escolas de basquetebol dos Estados Unidos da América.

O mais recente realiy show angolano foi apresentado com acções promocionais na Baía de Luanda, entre 24 e 27 de Setembro. Perto de 480 jovens, entre os 17 e os 20 anos aderiram e realizaram as suas inscrições.

Miguel Lutonda, ex-craque da Selecção Nacional não deixou de marcar presença na iniciativa e incentivar os mais jovens a abraçarem “fielmente” a prática do basquetebol.

Como um dos membros do corpo de jurados que integra o projecto, Lutonda considera o projecto “uma mais-valia. Quer para os jovens que não têm como e onde mostrar as suas habilidades, quer para nós que, apesar de não estar em campo, conseguirmos passar o nosso saber a estes craques” referiu.

Durante a promoção, Miguel Lutonda aproveitou para “driblar” com os jovens, e explicar um pouco sobre o conceito. No mesmo espaço, a Movicel, também patrocinadora do programa, realizou a dinâmica do 2ball. Uma prática bastante usada na NBA, durante os intervalos dos jogos, em que os jogadores são confrontados um a um.

Estão ainda previstas mais oito acções promocionais em bairros como Bairro Popular, Morro Bento e Bairro da Cuca.

Mais Lidas