Petrolíferas e Agência Nacional de Petróleo constroem escola primária no Lubango

Acaba de ser inaugurada uma nova escola primária no Bairro da Mitcha, no Lubango, por iniciativa da concessionária nacional, da BP Angola e dos membros do grupo empreiteiro do Bloco 31. A escola foi construída de raiz e conta com 13 salas disponíveis para servir mais de 1300 alunos.
Gociante Patissa:
    Gociante Patissa

Construída com fundos provenientes das contribuições para os projectos sociais do Bloco 31, que tem a BP Angola como operadorae a Sonangol Pesquisa & Produção, a Equinor e a SSI Block 31 Ltd. como membros do grupo empreiteiro, esta escola primária corresponde à implementação de um processo global de apoio à comunidade, liderado pela Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANPG).

A concessionária nacional, no âmbito da sua missão social, tem como objectivo apoiar as comunidades com vista ao desenvolvimento económico e social do país. Considerando a educação como uma das áreas que sustenta este desenvolvimento, a ANPG passará a enquadrar continuamente no seu plano de actividades anual o compromisso de garantir que projectos sociais desta natureza sejam materializados.

Este projecto ficou orçado 580.000 dólares e foi implementado num período de 12 meses, tendo a execução da obra sido assegurada pela ONG Rise Angola. A nova escola foi erguida num espaço onde já existia uma estrutura construída desde 1999, de adobe, com cinco salas de aula.

A nova construção, para além das salas de aula, conta com casas de banho adequadas para toda a comunidade escolar e área administrativa. Inclui uma biblioteca, uma sala de professores, três gabinetes para os coordenadores de turmas, uma secretaria e a área para arquivos.

“Este é um momento importante para a agência, uma vez que efectiva e mostra ao país a sua participação em projectos de cariz social, os quais devem ser estimulados e implementados também com recursos provenientes do sector petrolífero, cuja maior eficiência no presente e no futuro visa contribuir para o desenvolvimento económico e social da população angolana, refere o presidente da ANPG, Paulino Jerónimo, em comunicado remetido ao VerAngola.

O mesmo responsável sublinha ainda que “a infra-estrutura agora criada, com o suporte da ANPG, da BP e os membros do grupo empreiteiro do Bloco 31, é uma demonstração clara dos seus promotores ao nível do apoio que pode ser dado ao Governo de Angola na implementação da política de desenvolvimento educacional e da inclusão de um número cada vez maior de crianças angolanas no sistema de ensino nacional”.

Mais Lidas