Ver Angola

Matérias Primas

Angola tem potencial para abrir mais cinco minas de diamantes

Angola tem potencial para abrir pelo menos cinco minas de diamantes, duplicando o número actual, defendeu esta Quinta-feira o director do Instituto Geológico angolano, durante uma conferência em formato virtual.

: Getty Images
Getty Images  

"Mais de metade da área de Angola tem potencial petrolífero, mas não temos ainda informação geológica, é preciso estudar mais, mas com a informação que temos agora, é seguro dizer que há oportunidade de abrir pelo menos mais cinco depósitos primários", disse Canga Xiaquivuila durante o fórum 'Angola Global Diamond eConclave 2021', que decorreu esta Quinta-feira a partir de Luanda.

"Só há três minas de kimberlitos", a rocha onde potencialmente estarão os diamantes, apontou o responsável, notando que o potencial de exploração é enorme e suficiente para colocar o país no topo dos produtores de diamantes.

Antes, já o ministro dos Recursos Naturais e Petróleo, tinha convidado os investidores a apostarem no país, destacando as reformas implementadas pelo Governo e as boas condições para as empresas privadas.

"Os recursos de Angola são reconhecidos internacionalmente como um dos que têm mais potencial no mundo, e a indústria diamantífera desempenha um papel importante no desenvolvimento da economia", disse Diamantino Azevedo, vincando estar "confiante que a indústria mineira pode contribuir mais para o crescimento e desenvolvimento da economia angolana".

Na conferência, organizada para apresentar as oportunidades de negócio, o governante destacou "a introdução de reformas para melhorar o ambiente de negócios para a exploração, verificação, gravação e exportação de diamantes" e acrescentou que, depois do petróleo, este é o recurso natural mais importante do país.

"A nova política implementada por este Governo e o modelo de governação para o sector são o nosso compromisso para melhorar o sector, mas precisamos de mais esforços e de impulsionar as reformas", disse o ministro, convidando os privados a investir.

"Angola está aberta para os negócios, e estamos empenhados em trabalhar em conjunto com o sector privado para o desenvolvimento do sector", concluiu o governante.

Angola é o terceiro maior produtor mundial de diamantes em bruto em termos de valor, e os diamantes representam a segunda maior exportação do país, a seguir ao petróleo.

Relacionado