Ver Angola

Economia

Preços em Angola aumentaram 1,74 por cento entre Maio e Junho

O país assistiu a um aumento dos preços em 1,74 por cento entre Maio e Junho, segundo um relatório mensal do Instituto Nacional de Estatística (INE), divulgado esta Segunda-feira, valor que coloca a inflação acumulada a 12 meses no valor mais alto desde Janeiro de 2018.

:

Segundo a Folha de Informação Rápida do Índice de Preços no Consumidor Nacional (IPCN), a variação nos últimos 12 meses – entre Julho de 2019 e Junho deste ano – situa-se nos 22,62 por cento, o maior valor acumulado desde Janeiro de 2018, quando este indicador alcançou os 22,72 por cento.

A classe "Alimentação e Bebidas não Alcoólicas" foi a que registou o maior aumento de preços, com 2,28 por cento, seguindo-se "Bebidas Alcoólicas e Tabaco", com um crescimento de 2,21 por cento, "Hotéis, Cafés e Restaurantes", com 1,88 por cento e "Bens e Serviços Diversos", com 1,85 por cento.

A classe "Alimentação e Bebidas não Alcoólicas foi também, segundo o INE, "a que mais contribuiu para o aumento do nível geral de preços com 1,09 pontos percentuais durante o mês de Junho".

De acordo com o INE, as províncias que registaram maior aumento foram as de Cuando Cubango (2,58 por cento), Huíla (2,37 por cento), Huambo e Bengo (ambas com 2,31 por cento).

Por outro lado, as províncias com menor variação foram Cunene (1,4 por cento), Lunda Sul (1,48 por cento), Uíge (1,53 por cento) e Zaire (1,74 por cento).

No final de Março, a consultora FocusEconomics mudou a previsão de crescimento da economia, antevendo uma recessão de 1,2 por cento este ano e alertando para "uma severa turbulência económica" nos próximos meses devido à pandemia de covid-19.

A consultora estima que a inflação no país deva alcançar os 20,2 por cento este ano.

No início de Maio, a consultora Oxford Economics anunciou que a economia de Angola vai ter um crescimento negativo de 2,8 por cento este ano devido não só à pandemia, mas também à queda dos preços do petróleo desde Março.

Na Terça-feira, o parlamento irá votar, na generalidade, a proposta do Orçamento Geral do Estado (OGE) 2020 revisto, estimado em 13,5 biliões de kwanzas.