Ver Angola

Matérias Primas

Diamantino Azevedo: Agência Nacional de Recursos Minerais “é fundamental na reestruturação do sector”

O ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, Diamantino Pedro Azevedo, considerou esta Segunda-feira a criação da Agência Nacional de Recursos Minerais (ANRM) como "um passo fundamental na reestruturação do sector mineiro", que disse decorrer de forma "harmoniosa e com diálogo constante".

: Lusa
Lusa  

Diamantino Pedro Azevedo, que falava esta Segunda-feira na cerimónia de posse do conselho de administração da ANRM, disse que o órgão recém-criado emana de um compromisso assumido pelo actual Governo com o propósito de "melhorar o clima de investimento no sector".

"O que pressupunha adoptar um novo modelo de governação do sector, mais eficiente e transparente. Este modelo, já aprovado, é liderado pelo titular do poder executivo, cuja tutela cabe ao Ministério", afirmou.

Jacinto Rocha lidera o conselho de administração da ANRM, empossado esta Segunda-feira pelo ministro Diamantino Pedro Azevedo, que conta ainda com quatro administradores executivos, nomeadamente Djanira dos Santos, João Chimuco, Lukombo Pedro e Moisés David.

Para o ministro, a posse deste novo órgão do sector que dirige "virá solidificar o diálogo constante com o empresariado e os principais agentes envolvidos nesta actividade económica".

A Agência Nacional de Recursos Minerais cabe, entre outras, a função de regulação do sector mineiro, exercendo as suas atribuições sobre os recursos minerais no território nacional, com excepção dos hidrocarbonetos.

O presidente da ANRM, Jacinto Rocha, 54 anos, esteve muitos anos radicado na África do Sul, doutorado em Direito pela Universidade de Pretória e com um mestrado em Administração de Negócios e uma pós-graduação em Engenharia de Minas.

Segundo o governante, a sua nomeação decorre de uma orientação do Presidente, João Lourenço, sobre a necessidade de os "quadros angolanos na diáspora não serem esquecidos e merecerem uma atenção maior para o desenvolvimento do país".

"Por este facto, os meus especiais agradecimentos ao senhor presidente da ANRM, por ter seguido o desafio acima e aceite o convite para regressar à pátria e exercer esta função de elevada responsabilidade", salientou.

A todos os membros do conselho de administração da Agência Nacional de Recursos Minerais, Diamantino Pedro Azevedo observou que a confiança depositada "foi apenas em consideração" ao seu "conhecimento técnico e experiência baseada no mérito profissional".

Relacionado