Ver Angola

Defesa

Oficial da polícia vítima de homicídio em tiroteio

Um oficial da polícia foi morto por um grupo de elementos por identificar, na madrugada desta Terça-feira, em Luanda, enquanto dirigia acções de patrulhamento no bairro da Boa Fé, fronteira entre os municípios de Viana e Cacuaco, disse esta Terça-feira fonte policial.

: Reuters
Reuters  

Segundo o director do gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa do comando provincial de Luanda da Polícia, Nestor Goubel, o "infausto acidente" aconteceu na sequência da "troca de tiros" após a polícia ter cruzado com um grupo.

"Ele estava no seu exercício habitual de patrulhamento e fiscalização às acções para o combate à criminalidade, sobretudo nesse terreno conflituoso na fronteira entre Cacuaco e Viana, concretamente na zona da Boa-Fé onde terá ocorrido este acidente", disse Nestor Goubel à Lusa.

Nestor Goubel, que "condena o acto com veemência", referiu que investigações e medidas de polícia estão já em curso para se apurar os responsáveis pelo crime, afirmando que os autores "têm de ser responsabilizados".

"E de certeza que vamos encontrar os autores deste bárbaro crime", assegurou.

A vítima era comandante da esquadra da Boa-Fé, zona fronteiriça entre os municípios de Cacuaco e Viana.

A polícia, acrescentou, "tem estado a realizar o seu trabalho, sobretudo nas áreas mais críticas, ali dirigimos a nossa patrulha e o comandante Francisco estava a dirigir ali as patrulhas com o propósito de devolver o sentimento de segurança às populações".

O comandante geral da polícia, Paulo de Almeida, disse à Lusa, na semana passada, que a situação criminal do país é estável, observando, no entanto, que há sempre oscilações.

"Os crimes diminuíram sensivelmente, mas não deixa de haver preocupações, porque os crimes violentos continuam, como homicídios e roubos e são estes que temos que fazer frente para reduzir", sublinhou.