Autárquicas e alargamento do Comité Central marcam congresso do MPLA

A estratégia para o processo eleitoral das eleições autárquicas previstas para 2020 e o alargamento do Comité Central marcam, Sábado, os trabalhos do 7.º Congresso Extraordinário do MPLA, indica uma nota do partido no poder.
:
  

Segundo o comunicado, o conclave, sob o lema "MPLA e os Novos Desafios", vai decorrer no Complexo Turístico Futungo 2, em Luanda, e será presidido pelo líder do Movimento Popular de Libertação de Angola, João Lourenço, igualmente chefe de Estado.

Sem a liderança do MPLA estar em causa, os dois temas fortes são o alargamento do Comité Central do partido, em que existem 134 candidatos para se juntarem aos 363 membros actuais, e a estratégia para as primeiras autárquicas em 44 anos de independência, cujos contornos estão ainda por definir, estando por conhecer se se realizarão simultaneamente em todo o país, como defende a oposição, ou em apenas alguns dos municípios, tal como pretende o partido.

O conclave, que contará com 2591 delegados, tem também na agenda "ajustamentos pontuais" aos estatutos do partido, relacionados com o alargamento do Comité Central e "outros", e também a aprovação dos documentos finais, como a resolução geral do 7.º Congresso Extraordinário, e as diferentes moções a apresentar.

"Segundo os Estatutos do MPLA, qualquer órgão ou organização do partido, a nível nacional ou um terço dos participantes ao último congresso ordinário [realizado entre 17 e 20 de Agosto de 2016] podem propor ao Comité Central ou ao presidente do partido a convocação de um congresso extraordinário, indicando, na proposta, as razões, sendo que o CC delibera, depois de consultar os órgãos intermédios, o que veio a acontecer", lê-se na nota.

Mais Lidas