Petrolíferas dizem-se prontas para concorrer aos novos blocos de petróleo

A Câmara de Energia Africana divulgou que as companhias petrolíferas a operar em Angola estão prontas para concorrer às novas licitações anunciadas esta semana e que querem ajudar o Governo a aumentar a produção petrolífera.
:
  

"As empresas petrolíferas estão prontas para as novas rondas de licitação em Angola e prometem continuar a trabalhar com o Governo nas reformas para abrandar o declínio da produção", lê-se num comunicado de imprensa divulgado durante a conferência 'Angola Oil & Gás', que termina esta Quinta-feira em Luanda.

Entre as declarações citadas no comunicado está a do presidente da BP em Angola, Steve Willis, que lembrou que a redução das despesas em exploração, que no país desceram de 7000 milhões de dólares em 2013 para os actuais 2000 milhões, uma tendência global.

"Apesar da redução na exploração, que é uma tendência global e não específica deste país, a taxa de sucesso de Angola está acima dos 50 por cento, contra uma média global de 30 por cento", disse o responsável, elogiando as reformas do Governo.

"Estamos a ver uma completa revitalização do enquadramento contratual e a moldura de intervenção governamental que vai traduzir-se num aumento da actividade do mercado", acrescentou.

Para o ministro das Minas e Hidrocarbonetos da Guiné Equatorial, Gabriel Lima, tão importante quanto lançar novas rondas é perfurar à procura de petróleo.

"Os dois maiores produtores do mundo, os Estados Unidos e a Federação Russa, construíram as suas indústrias e mantiveram-se no topo porque nunca pararam de perfurar, e é isso que temos de fazer em África, precisamos de políticas de 'perfurar' ou 'abandonar'", afirmou.

A Câmara de Energia Africana "continua a acreditar que quando os governos e as companhias petrolíferas trabalham de mão dada, as descobertas acontecem e as reformas corretas são implementadas", lê-se ainda no comunicado, que conclui elogiando Angola por ter "desencadeado um diálogo nestes parâmetros, que levou a que muitas companhias e investidores estejam agora dispostos a investir e a explorar".

A Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANPG) anunciou esta Quarta-feira que vai lançar um concurso público, em outubro deste ano, para licitação de dez blocos para exploração petrolífera nas bacias do Namibe e Benguela.

Segundo o presidente do Conselho de Administração da ANPG, Paulino Jerónimo, no concurso público, cujo lançamento está agendado para 2 de Outubro, serão licitados dez blocos petrolíferos, nove na bacia da província do Namibe e um na província de Benguela.

Mais Lidas