Angola recebe mais de 123 milhões para abastecimento de água e saneamento

O Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) e o Governo assinaram um acordo de financiamento de mais 123 milhões de dólares para um projecto de abastecimento de água e saneamento básico que servirá directamente 922 mil habitantes de sete províncias.
:
  

Segundo informação disponibilizada hoje à Lusa pelo BAD, o acordo foi celebrado entre aquela instituição e o Ministério das Finanças, em Luanda, na quarta-feira, e o empréstimo pretende servir para "melhorar a governação do sector da água", a nível urbano, e "fortalecer a capacidade e eficiência" das instituições do sector de água e saneamento a nível central e provincial.

A implementar em 60 meses, nas províncias de Cabinda, Cunene, Lunda Norte, Lunda Sul, Namibe, Bengo, e Cuanza Sul, o projecto, globalmente, está avaliado em 154,7 milhões de dólares.

A comparticipação pelo empréstimo do BAD ascende a 123,77 milhões de dólares, de acordo com informação anterior daquela instituição financeira africana.

A criação, funcionamento "eficaz" e ampliação das sete redes provinciais de abastecimento de água e saneamento, o aumento da capacidade de prestação de serviços nesta área, aos níveis central e provincial são propósitos estabelecidos definidos.

Segundo o BAD, seis das sete províncias que serão abrangidas pelo projecto contam com uma cobertura, no acesso da população à rede de abastecimento de água potável, abaixo da média nacional, em taxas de 7 a 56 por cento.

Além da população directamente servida, aquela instituição estima que a melhoria da eficácia e gestão da rede destes serviços públicos beneficiará ainda 2,3 milhões de habitantes que vivem nas sete capitais províncias.

Permitirá ainda aumentar o acesso ao abastecimento de água a mais de 338 mil pessoas, em áreas periurbanas, e saneamento básico a 75 mil habitantes.

Apesar de reconhecer o investimento aplicado pelo Governo angolano na recuperação das infra-estruturas básicas, depois de trinta anos de conflito armado, o BAD admite que esse processo "não tem sido acompanhado com ênfase adequada nos domínios institucionais e de capacidade" das instituições, ao nível central e provincial, propósito do projecto financiado.

Mais Lidas

:
Já começa a custar…