Ver Angola

Economia

Estudo EY: Riscos de fraude e corrupção afectam expansão internacional das empresas

De acordo com o estudo “EY’s Europe, Middle East, India and Africa (EMEIA) Fraud Survey, Fraud and corruption – the easy option for growth?” o crescimento da pressão para que as empresas aumentem as receitas, a par da volatilidade do mercado, está a colocar em risco as oportunidades de expansão.

:

Esta situação, em simultâneo com desafios como a instabilidade geopolítica, commodities, volatilidade do preço da moeda e sanções económicas, está a empurrar as empresas e os seus executivos para comportamentos de alto risco.

O estudo, que entrevistou 3800 colaboradores de grandes empresas em 38 países, revela ainda que cerca de 33 por cento dos inquiridos consideram que a gestão está sob pressão crescente para se expandir em mercados de elevado risco. Nestes mercados 61 por cento dos entrevistados afirmam que a corrupção em empresas é generalizada, e 37 por cento referem que muitas vezes as empresas reportam o seu desempenho financeiro acima da realidade.

No entanto, o risco de fraude não é limitado aos mercados de crescimento rápido. Vinte e seis por cento dos gestores de topo entrevistados referem ter ouvido falar em antecipação de lucros no ano transacto – o tipo de comportamento que tem sido identificado como estando na origem diversas fraudes ao nível do top management. Além disso, 21 por cento dos entrevistados relatam que as más notícias relativas ao desempenho financeiro não são partilhadas de forma aberta

“Os riscos de fraude, suborno e corrupção são reais. As empresas enfrentam restrições complexas acerca da forma como conduzem os negócios, com regimes de sanções eminentes e riscos novos como o cibercrime, o que acarreta potencial para perturbar significativamente as operações. As empresas têm que estar vigilantes e alerta, na identificação de estratégicas de crescimento de alto risco”, refere David Stulb, Global Leader da linha de serviço da EY - Fraud Investigation & Dispute Services, em comunicado remetido ao VerAngola.