Ver Angola

Comércio

Espanha anuncia aumento do risco das exportações para Angola em 200 milhões de euros

Espanha vai ampliar em 200 milhões de euros a cobertura de risco das exportações para Angola, "um claro compromisso com o desenvolvimento económico e com a recuperação económica deste país", anunciou o primeiro-ministro espanhol em Luanda.

:

O Presidente do Governo da Espanha, Pedro Sánchez, considerou Angola um mercado "muito importante" para o seu país, com o qual mantém relações "excelentes", quando intervinha esta Quinta-feira de manhã no encerramento do Fórum Empresarial Angola/Espanha, o primeiro ponto da agenda de trabalho que cumpre no país.

"Para o Governo de Espanha, Angola é um país amigo, com o qual colaboramos e apoiamos, por isso confiamos que o Governo de Angola pode impulsionar o desenvolvimento económico de que necessita e pode contar no seu desenvolvimento com o apoio de empresas espanholas", referiu.

O dirigente espanhol, que realiza uma visita de um dia a Luanda, lembrou que as empresas espanholas estão em Angola desde a sua independência, apoiando o seu desenvolvimento com a construção de infra-estruturas.

Segundo o Presidente do Governo espanhol, Angola é um país de "grandes oportunidades", que podem ser aproveitadas pelas empresas espanholas.

"Os dados das nossas trocas comerciais mostram a importância das relações entre os dois países", disse, salientando que a média das exportações espanholas, nos últimos 7 anos até 2015 foi de 236 milhões de euros, alcançando em alguns anos os 500 milhões de euros.

A parte angolana nesse período exportou para Espanha uma média de 1352 milhões de euros anuais, superando o grosso em 2700 milhões de euros em 2014.

O governante espanhol sublinhou que a actualmente a situação económica de Angola é mais complexa, o que teve um impacto nas trocas económicas entre os dois países, contudo o país africano é o terceiro fornecedor da Espanha na África subsaariana.

O grosso das importações espanholas de Angola, prosseguiu Pedro Sánchez, são produtos energéticos, especialmente o petróleo, saudando a aposta "muito importante" do Governo angolano em diversificar a sua economia e diminuir a dependência do petróleo.

Pedro Sánchez sublinhou a capacidade e a vontade das empresas espanholas de apoiar o esforço do Governo de Angola, manifestando o desejo de Espanha em recuperar o dinamismo do intercâmbio bilateral, para estimular e fortalecer o ritmo dos objectivos económicos.

"O Governo de Espanha apoia Angola em todos os momentos e nesta conjuntura marcada pela pandemia também vamos fazê-lo", disse o governante espanhol.

De acordo com o Presidente do Governo de Espanha, as empresas espanholas vão ser incentivadas a apostarem a sua internacionalização no mercado nacional.

"Nos quase 35 anos que a Espanha vem apoiando Angola com financiamento bilateral, as empresas espanholas participam no desenvolvimento do país naqueles setores em que são referência internacional, concretamente na construção, electrificação, saúde, pesca, educação, tecnologias de informação e também no sector financeiro, no setor bancário, contudo, continuam a existir desafios", referiu.

Espanha reconhece o "enorme esforço" que Angola está a fazer nesta nova etapa dirigida pelo Presidente da República, João Lourenço, que optou por uma política económica orientada para o equilíbrio das contas públicas e a transparência.

"O acordo com o Fundo Monetário Internacional e o restante da comunidade internacional, incluindo a Espanha, não se vão fazer esperar e estou convencido que esse esforço vai redundar num melhor acesso aos financiamentos e a uma maior atracção de investimentos por parte de Angola", disse.

Espanha vai continuar a apoiar financeiramente, com diferentes instrumentos públicos ao seu alcance, garantiu ainda.

Depois deste fórum, Sánchez seguiu para o Palácio Presidencial, para um encontro com o Presidente João Lourenço.