Ver Angola

Economia

Governo quer aperfeiçoamento e expansão do crédito à economia

A Assembleia Nacional de Angola recomendou o aperfeiçoamento e expansão dos mecanismos de crédito à economia, com taxas de juros e prazos de reembolso adequados, sobretudo para as empresas de menor dimensão.

Novo Jornal:

A posição consta do relatório do debate mensal realizado pela Assembleia Nacional, sobre a diversificação da Economia, tema proposto pela bancada parlamentar do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), partido maioritário. O documento recomenda uma atenção especial ao programa de apoio ao investimento "Angola Investe", através de crédito, por ter "o potencial de se vir a converter num grande programa de inclusão económica dos cidadãos nacionais no domínio empresarial", envolvendo as micro, pequenas e médias empresas.

Recomenda ainda a reactivação e intensificação do programa de crédito agrícola, de modo a apoiar os camponeses e os empresários agrícolas no esforço tendente ao aumento da produção e comercialização no meio rural. Por último, aconselha a criação de um fundo de investimento para as grandes empresas angolanas, com vista a suportar a intervenção do empresariado nacional nos projectos de grande porte.

Nos debates sobre o assunto, deputados do partido maioritário e da oposição divergiram nas suas opiniões, com os parlamentares do MPLA a citarem alguns exemplos de projetos, sobretudo ligados à agricultura, executados em algumas províncias. Para o deputado do MPLA, Serafim do Prado, antigo governador da província do Cuanza Sul, "Angola será um grande exemplo da diversificação da economia em África e no mundo". "Por isso, com vista a acelerar este processo, gostaríamos de sugerir o seguinte: continuar com a melhoria da balança comercial, fomentando as exportações e diminuindo as importações através do aumento da produção nacional", referiu o deputado, recomendando ainda a diminuição da dependência do petróleo e a continuação da melhoria das vias rodoviárias.