Músico português quer “mobilizar todos os músicos angolanos” para ajudar Moçambique

O músico português João Gil, em conjunto com a Cruz Vermelha Portuguesa, lançou o desafio a todos os artistas lusófonos para participarem no "maior concerto do mundo" e, assim, angariarem fundos destinados a Moçambique, país afectado pelo ciclone Idai.
AFP:
    AFP

"Nós queremos mobilizar os povos da língua portuguesa. Queremos mobilizar o povo do Brasil, o povo de Angola, todos os músicos angolanos”, anunciou João Gil numa conferência de imprensa na sede da Cruz Vermelha Portuguesa (CVP), em Lisboa.

O músico disse ainda que se pretende mobilizar Moçambique, Cabo Verde, Timor-Leste, São Tomé e Príncipe e Guiné-Bissau.

“Podem enviar os seus conteúdos (...) e, a partir de 18 de Abril, nós começamos um concerto interminável", declarou o músico português.

A iniciativa, dinamizada também com o cantor português Rui Veloso, pretende angariar fundos destinados a ajudar as vítimas do ciclone Idai em Moçambique, país que já contabiliza 242 vítimas mortais, e irá funcionar de uma forma diferente de outros concertos solidários realizados até agora.

Em vez de uma transmissão televisiva, a emissão da "Operação Imbondeiro - O Maior Concerto do Mundo" seria feita através do portal on-line da Cruz Vermelha Portuguesa, podendo então ser partilhada pelas várias estações de rádio e canais televisivos.

Uma vez no portal da Cruz Vermelha Portuguesa, as estações podem fazer a ligação e podem transmitir os concertos "de uma forma absolutamente aberta" e no seu rodapé constará uma linha para a recolha de fundos directamente para o fundo de emergência da CVP, explicou o presidente da instituição, Francisco George.

A iniciativa anunciada consiste, de acordo com João Gil, numa alternativa mais "democrática" e permite a participação de todos os artistas interessados, assinalando que os moldes anteriores conduziam à limitação do número de participantes.

Mais Lidas