Executivo disponibiliza mais de 900 mil dólares para vítimas das chuvas

O Governo angolano canalizou cem milhões de kwanzas para os primeiros socorros às vítimas das chuvas que caíram sobre o município do Lobito, província de Benguela, e provocaram até agora 67 mortos.
:
  

À saída de uma reunião ministerial, realizada esta sexta-feira para analisar a situação, o ministro da Administração do Território de Angola, Bornito de Sousa, disse à imprensa que a verba disponibilizada serve para acudir as situações mais prementes.

Segundo o governante, as medidas inicialmente tomadas para assistir às vítimas, nomeadamente a sua colocação em tendas, em locais mais estáveis, não são para já as mais confortáveis. "Mais tarde vão ser tomadas algumas medidas estruturantes de maior dimensão", frisou o ministro.

Bornito de Sousa, coordenador da delegação ministerial, que integra ainda os ministros da Saúde, do Interior e da Assistência e Reinserção Social, pediu medidas mais enérgicas às autoridades municipais e organizações não-governamentais, que trabalham com as comunidades e o habitat, para impedirem as construções em áreas de risco. "Esse trabalho vai continuar a ser feito, não só aqui no caso de Benguela, é uma situação que ocorre em quase todas as províncias do país e sabemos que a natureza tem surpresas", frisou. "É uma perda significativa, que poderia ter sido evitada com acções concretas", acrescentou ainda o responsável.

O balanço mais recente dos estragos causados pelas chuvas que caíram na noite de quarta-feira sobre o Lobito aponta actualmente para a morte de 67 pessoas, a destruição total de 119 casas e parcial de outras 46, de uma igreja e a inundação de 11 escolas.

Na quinta-feira, o Secretário de Estado do Serviço de Proteção Civil e Bombeiros, Eugénio Laborinho, disse em Benguela que o número de vítimas poderá aumentar, já que muitas pessoas continuam desaparecidas, prosseguindo o trabalho de limpeza das valas e as buscas de mortos e desaparecidos.

Mais Lidas