Ver Angola

Matérias Primas

Uíge: SMCA relança exploração de cobre na mina de Mavoio

A antiga mina de Mavoio, que inclui as de Tetelo e Bembe, no município do Maquela do Zombo (Uíge), vai voltar a ter um novo propósito: a Sociedade Mineira de Cobre de Angola (SMCA) vai começar a explorar cobre na antiga mina, a partir de 2023.

:

Rui Lopes, presidente do Conselho de Administração da SMCA, revelou que os estudos preliminares começaram a ser feitos em 2009 e que até agora, na prospecção, já foram gastos 59 milhões de dólares. Também já foram realizadas 115 perfurações de sondagem de 570 metros de profundidade, disse.

Segundo o responsável, citado pelo Expansão, os trabalhos encontram-se agora na segunda fase de avaliação. Actualmente, foram já analisadas 12.710 amostras do ponto de vista geofísico e geoquímico, para além de estudos de impacto ambiental, indicou.

"A actividade de prospecção está a consumir este tempo todo, por se tratar de um jazigo complexo que requer estudos profundos e que cumpram com os padrões internacionais", explicou.

Rui Lopes afirmou ainda que, para já, a sociedade vai realizar estudos de viabilidade, para, posteriormente, avançar com o pedido para a licença de exploração. Contudo, só daqui a dois anos, em 2023, é que a SMCA vai começar a explorar o minério.

A empresa prevê manter a produção de cobre durante 15 anos. Numa fase inicial, a sociedade estima atingir uma produção de até oito mil toneladas de cobre, mas prevê aumentar o número quando atingir o pico de produção: "Quando atingirmos o pico da produção nesta mina subterrânea, a perspectiva será extrair 26 mil toneladas/ano".

A longo prazo, a sociedade estima que sejam exploradas mais de 400 mil toneladas de cobre, disse, completando que os trabalhos de prospecção contam com a colaboração de 110 trabalhadores.

Relacionado