Angola vai passar a ter passaportes com dados biométricos

O Governo prevê começar a emitir, em breve, passaportes com medidas de segurança reforçadas, incluindo dados biométricos, informou o director do Serviço de Migração de Estrangeiros (SME).
:
  

Gil Famoso falava à imprensa no final da reunião do Conselho de Defesa Nacional, orientado pelo Presidente João Lourenço, que analisou a situação político e militar do país.

O director do SME disse que será apresentada "muito em breve" a proposta de alteração da lei de passaportes, para que se evolua do documento actual para o biométrico, com maiores medidas de segurança.

"A mudança vai conter três níveis de segurança visual, verificáveis através de equipamentos electrónicos e de segurança e mediante técnicas de conformação específicas e de técnicas forenses", explicou o responsável.

Gil Famoso garantiu que a emissão de novos passaportes não vai implicar alteração nos preços da nova taxa, fixados este ano nos 30.500 kwanzas.

"Não há perspectivas de se elevar o preço do passaporte com a implementação do passaporte biométrico, porque o que estará em causa para a determinação da taxa são os custos de produção e tudo quanto está em volta do seu processo de produção", frisou.

Sobre a polémica levantada à volta do aumento de preços, dos 3000 kwanzas para 30.500 kwanzas, o responsável do serviço migratório reconheceu que a subida foi "bastante acentuada" e admitiu não ter havido "uma prévia informação satisfatória".

"Mas também reconhecemos que o valor anterior da taxa não cobria sequer o custo de produção da cédula. Julgamos que a atual taxa se adequa aos custos de produção do passaporte, aos custos de personalização e a todos os serviços para que ele chegue até ao cidadão", referiu.

Até Janeiro, o SME tinha pendente 71.413 pedidos de passaportes ordinários. Desde janeiro até agora, referiu, foram emitidos 36.931 passaportes.

Desde que entrou em vigor a nova taxa, no início de Fevereiro, foram rececionados 3.984 processos de emissão de passaporte.

Mais Lidas