Ver Angola

Economia

Angola procura possíveis investidores no Fórum Económico Mundial em Davos

Angola está em Davos, na Suíça, a participar no Fórum Económico Mundial. Qual o objectivo? Demonstrar que o país está a crescer e, nesse sentido, encontrar possíveis investidores.

:

Quem está a representar Angola na 50.ª edição do Fórum Económico Mundial é a ministra das Finanças, Vera Daves de Sousa, que na Terça-feira deu a conhecer o novo plano económico do país.

Entre debates e exibições do que melhor Angola tem para oferecer, a governante vincou, em entrevista à Euronews, o propósito de estar presente neste evento: "Estamos num caminho de reconstrução, de ganhar a confiança dos investidores nacionais e internacionais, em Angola, de mudança na maneira como fazemos negócio, como nos mostramos, como gerimos as entidades e as empresas públicas. Por isso, estar aqui é uma oportunidade para fazer a nossa voz, de falarmos sobre o que estamos a fazer, qual é a nossa visão em relação ao país e como nos propomos a diversificar a economia".

Na lista de novas apostas do executivo está a mudança do sector petrolífero, indicou. "No modelo actual, o petróleo é o principal contribuidor, queremos mudar para um modelo onde outros sectores contribuem para o nosso crescimento", disse.

Para fazer isso, Vera Daves de Sousa explicou que o executivo se está a focar em dois pontos cruciais. O primeiro é "estabilizar as condições macroeconómicas, controlar a inflação", permitindo assim que as "taxas de câmbio flutuem livremente", revelou, acrescentando que há quatro anos que a taxa de crescimento é negativa e é necessário mudar isso.

O segundo ponto está relacionado com o lado político. A ministra frisou que o objectivo do governo é "continuar a desempenhar um papel pacificador", mantendo o diálogo com os países vizinhos, para que haja "estabilidade social e política". "Compreendemos que isso é a chave para garantir o comércio, que a abertura que queremos ver entre países africanos, acontece num ambiente político de estabilidade", completou.

Quanto à corrupção, que tem sido matéria central durante o governo de João Lourenço, Vera Daves de Sousa afirmou que o seu combate continua a ser uma das prioridades do país.

Durante o Fórum Económico Mundial, a ministra já se encontrou com Elsie Kanza, a directora executiva para África do WEF, com Olaug Sarva, presidente do fundo norueguês 'NORFUND' e com o director executivo do grupo Rothchild, entre outros possíveis interessados no país.