Ver Angola

Economia

Economia só vai crescer menos de um por cento este ano, diz BFA

O gabinete de estudos económicos do Banco Fomento Angola (BFA) previu esta Segunda-feira que a economia tenha tido um crescimento económico negativo de pelo menos 1 por cento em 2019 e que cresça abaixo de 1 por cento este ano.

:

"Para o conjunto de 2019, esperamos um declínio perto de 1 por cento, ou possivelmente maior, em 2020, a economia petrolífera deve ter um desempenho próximo da estagnação, já que os novos investimentos compensam o declínio normal dos poços mais antigos", lê-se numa nota de análise sobre a economia nacional.

Na nota, enviada aos clientes do BFA e a que a Lusa teve acesso, os analistas escrevem que "a economia não petrolífera deve crescer a um ritmo moderado, perto de 1 por cento, ainda que sujeita ao estabelecimento de um ambiente estável no mercado cambial, o que permite aos agentes económicos recuperarem alguma confiança", esperando-se, assim, "um ligeiro aumento do PIB, provavelmente abaixo de 1 por cento".

No comentário, o BFA diz que a economia do país teve uma contracção de 0,8 por cento no terceiro trimestre, face ao anterior e, "em particular, a economia petrolífera encolheu 8,7 por cento nesse trimestre face ao período homólogo de 2018".

O comércio de retalho, por seu turno, recuperou entre Julho e Setembro, crescendo 8 por cento, "mas este ritmo não foi suficiente para compensar as quebras nos dois trimestres anteriores, pelo que a queda face ao homólogo de 2018 foi de 1,3 por cento nos três primeiros trimestres do ano passado".

No último trimestre do ano passado, "a economia deve ter caído de forma drástica" escrevem os analistas, apontando que, por um lado, a "economia petrolífera deve ter recuado a um ritmo similar ou pior que no terceiro trimestre".

"Por outro lado, a implementação do IVA, juntamente com as mudanças no regime cambial, provavelmente tiveram um efeito negativo na confiança das empresas e dos consumidores, arrastando negativamente a economia não petrolífera", concluem os analistas.