União Europeia disponibiliza 22 milhões de dólares para financiar agricultura familiar

A União Europeia (UE) vai financiar um projecto de apoio à agricultura familiar e de combate à fome no sul de Angola, orçado em 22,8 milhões de dólares, de acordo com informação divulgada pela delegação comunitária em Luanda.
Tamires Kopp:
    Tamires Kopp

A apresentação do procjeto decorre no âmbito de uma visita de dois dias que o representante da UE em Angola, Gordon Kricke, iniciou quinta-feira na província da Huíla. A deslocação tem como objectivo visitar projetos financiados por fundos europeus e apresentar o novo programa da União Europeia de apoio ao desenvolvimento de Angola até 2020, ao abrigo do 11.º Fundo Europeu de Desenvolvimento (FED).

Nesse sentido, vai ser apresentado o projecto de Fortalecimento da Resiliência e Agricultura Familiar em Angola (FRAFA), cujo início está previsto para 2016 nas províncias do Cunene, Huambo, Huíla e Namibe, orçado em 22,8 milhões de dólares. O mesmo tem como objectivo reduzir a fome, pobreza e vulnerabilidade através do reforço da agricultura familiar no Sul de Angola.

A delegação comunitária visitará o projecto Kumosi, ligado ao Fortalecimento das Cooperativas e Associações do município da Caçula, que teve um financiamento a fundo perdido, pela UE, de 855 mil dólares. O programa de trabalho prevê igualmente visitas ao projecto de Promoção da Igualdade de Género e o Empoderamento da Mulher e ao futuro Instituto de Gestão Económica e Financeira PALOP (Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa), que recebeu um financiamento a fundo perdido da UE no valor de 3,4 milhões de dólares, com vista a melhorar a capacidade humana e institucional da gestão económica e financeira dos PALOP e Timor-Leste, através da formação de alto nível e troca de experiências entre os beneficiários.

O 11.º FED para Angola destina-se a apoiar até 2020 essencialmente as áreas de desenvolvimento rural e agricultura sustentável, a formação profissional e ensino superior, água e saneamento.

Mais Lidas