Wi-Connect e a Internet grátis: quando uma ideia vale o título de melhor startup de Angola

Uma causa: Internet para todos. Em menos de dois anos, a Wi-Connect está pronta para levar a famosa “rede” até às ruas. A meta é ambiciosa e passa por oferecer Internet gratuita em todo o país. Sim, gratuita é a palavra-chave. Através de parceiras com o Governo e instituições, e da possibilidade de existir publicidade na plataforma, este propósito torna-se cada vez mais possível e sustentável.
Menos Fios:
    Menos Fios

Uma ideia sólida, executável, apelativa e um modelo de negócio irrepreensível. A Wi-Connect é a melhor startup de Angola. No próximo ano, a vencedora do Seedstars Luanda ruma à Suíça, onde disputará com as melhores startups do mundo a possibilidade de angariar até um milhão de dólares em investimento.

Quando é que surgiu a ideia da criação de uma plataforma como a Wi-Connect?

A ideia surgiu em finais de 2014. A causa Internet para todos tornou-se o nosso objectivo, assim como torna-lo possível e sustentável. A iniciativa começava a ganhar forma.

Pode explicar-nos como é que funciona?

A Wi-Connect criou um modelo de negócio que nos permite fornecer Internet às comunidades a custo zero através da monetização do nosso portal de login nos nossos hotspots. As empresas que fazem investimento em publicidade e marketing agora podem faze-lo na nossa plataforma e ao mesmo tempo contribuir para esta causa, a proliferação de um serviço que deixou de ser um luxo e já é uma necessidade.

Como é que os angolanos podem beneficiar directamente desta plataforma?

Para os nossos utilizadores, neste momento, temos algumas Universidades em Luanda em que os alunos têm acesso a Internet, temos instituições com enormes filas de espera onde as pessoas agora podem ficar a navegar enquanto esperam a sua vez e tudo isso sem pagar um tostão. Os ganhos são enormes, desde os níveis de satisfação, redução de custos. Os ganhos não ficam apenas pelo valor social criado, as empresas agora têm um novo meio onde anunciar os seus serviços e produtos, uma nova forma de chegar aos consumidores ao mesmo tempo contribuindo para uma causa, não apenas angolana ou africana mas global também.

Que funcionalidades têm disponíveis para os utilizadores da aplicação? É também uma opção para empresas?

Os nossos serviços podem servir os utilizadores de inúmeras maneiras, nas Universidades, após o login os alunos são redireccionados a um site com conteúdo académico, Khan Academy, mundialmente conhecido pela grande base de dados de conteúdo académico. Temos outras soluções disponíveis para hotspots em restaurantes e centros comerciais, com a Internet as possibilidades só são limitadas pela nossa imaginação.

Para empresas temos três produtos preparados: anúncios publicitários em formato de banner, vídeos e por último sondagens, para por exemplo uma empresa que queira submeter um questionário aos nossos utilizadores para fins de estudo de mercado. Fornecemos relatórios gráficos, análise de tendências na rede e outros mais que permitem as empresas a tomar decisões na hora de direccionar investimento.

Quais são os vossos objectivos e como marcam a diferença relativamente a outras aplicações já existentes?

Gostaríamos de ter um impacto positivo na nossa sociedade, seria bom termos os nossos serviços a funcionar não apenas em Angola mas em África também. A nossa solução passa por aumentar a base de utilizadores que utiliza Internet. Do nosso ponto de vista as diversas aplicações no nosso mercado só têm a beneficiar com esta iniciativa, porque ao aumentamos a base de utilizadores conectados à Internet, o mercado de apps cresce.  

O Seedstars World é uma competição prestigiada que distingue os melhores dos melhores. Foi por isso que decidiram concorrer?

Competir em eventos como o Seedstars World é um passo natural para as startups. A rede de contactos que se cria é sempre uma mais-valia para quem participa, ser apurado para os pitchings já pode ser considerada uma vitória para muitos de nós.

Como encararam a concorrência deste ano? Angola esta recheada de jovens empreendedores talentosos?

Gostamos imenso da experiência, trocar ideias com jovens como nós que estão na corrida para fazer a diferença é sempre gratificante. Podemos ser concorrentes no palco mas fora somos parceiros e identificamo-nos uns com os outros. Criamos um fórum entre nós para podermos manter o contacto e trocar experiências.

De qualquer forma, a Wi-Connect destronou a concorrência e é a melhor startup de Angola. Como se sentem?

Estamos felizes por termos ganho, é um bom indicador que estamos no bom caminho.

Vão representar Angola na última fase do concurso, ao lado de startups recheadas de potencial. Quais as expectativas?

Como disse, participar para nós já é uma vitória, tentamos manter o foco no nosso produto e não pensamos muito na concorrência, que vença o melhor.

De que forma é que a vossa participação nesta iniciativa poderá beneficiar a Wi-Connect?

A exposição que tivemos no SeedStars Angola permitiu-nos adicionar novos contactos à nossa carteira. Tivemos algumas empresas que expressaram a vontade de trabalhar connosco, com as expectativas muito altas, e estamos trabalhar para podermos corresponder a essas expectativas.

Se forem os vencedores a nível mundial, como pretendem aplicar o prémio?

Se formos vencedores utilizaremos o dinheiro para elevar a Wi-Connect ao outro nível. Ainda há muito a ser feito e como dissemos, África é um continente grande.

Quais os planos para o futuro? Há novidades a caminho?

Ter ganho o evento SeedStars Angola deu-nos um novo target. Por enquanto vamos concentrar-nos no evento mundial que terá lugar na Suíça em 2017.

Vídeo

Mais Lidas