Preços registam maior aumento desde Setembro de 2018

Os preços aumentaram 1,52 por cento entre Junho e Julho de 2019, o valor mais alto desde Setembro de 2018, segundo um relatório mensal do Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgado Terça-feira.
Ampe Rogério:
    Ampe Rogério

De acordo com a Folha de Informação Rápida do Índice de Preços no Consumidor Nacional (IPCN), a inflação mensal aumentou face aos 1,08 por cento registados entre Maio e Junho deste ano, com o valor acumulado a 12 meses a atingir uma taxa de 17,24 por cento.

O IPCN registado entre Junho e Julho deste ano foi o mais alto desde que, em Setembro de 2018, o INE registou um aumento dos preços em 2,69 por cento.

O aumento entre os meses de Junho e Julho impulsionou também o acumulado a 12 meses, que passou de 16,94 por cento para 17,24 por cento, representando o primeiro aumento deste índice em 2019.

O mesmo documento refere também que o acumulado dos primeiros sete meses do ano se cifra em 8,29 por cento.

A classe "Habitação, Água, Electricidade e Combustíveis" foi a que registou o maior aumento de preços, com 3,53 por cento.

Os preços registaram também aumentos mais elevados nas classes "Vestuário e Calçado" (1,58 por cento), "Saúde" (1,53 por cento), "Bens e Serviços Diversos"(1,50 por cento), "Alimentação e Bebidas Não Alcoólicas" (1,39 por cento), e "Lazer, Recreação e Cultura" (1,36 por cento).

De acordo com o INE, as províncias que registaram maior aumento foram as do Namibe (1,82 por cento), Kwanza Norte (1,75 por cento), Malange (1,74 por cento), Benguela (1,69 por cento) e Lunda Norte (1,60 por cento).

Por outro lado, as províncias com menor variação foram Zaire (1,10 por cento), Bié (1,13 por cento), Uíge (1,25 por cento), Cabinda (1,29 por cento) e Cuando Cubango (1,30 por cento).

No Orçamento Geral do Estado (OGE) para 2019, o executivo prevê uma taxa de inflação (a 12 meses) de 15 por cento.

Em 2016, a inflação (12 meses) chegou a 41,12 por cento, em 2017 desceu para 23,67 por cento, e fechou 2018 nos 18,60 por cento.

Mais Lidas