Estado com 500 propostas para obras de reabilitação de estradas

O Governo começou a analisar as cerca de 500 propostas do concurso público para reabilitação de 27 troços de estradas, cuja primeira fase está orçada em 175 milhões de dólares.
:
  

Enquadrado no denominado "Programa de Salvação de Estradas", com um orçamento global de 350 milhões de dólares, as autoridades admitiram já cerca de 400 propostas de empreitadas e 100 para fiscalização, entre empresas nacionais e estrangeiras, e cujos trabalhos deverão começar a partir de Maio próximo.

Segundo o director do gabinete de Gestão de Contratos do Ministério da Construção e Obras Públicas, Dealdino Balombo, a fase inicial do programa incluiu apenas 27 troços de estrada, prevendo-se o apuramento de 54 propostas para empreitadas e fiscalização.

"Visa a participação das empresas, de empreitadas e de fiscalização nessas obras de recuperação, manutenção e salvação de diversas estradas que se encontram degradadas e algumas mesmo em ruínas em todo o país", afirmou.

O responsável frisou que as propostas estão a ser avaliadas "ao detalhe", nomeadamente os "documentos de habilitação e a proposta técnica e financeira para execução da obra".

"Verificamos tudo isso para emitir dois documentos essenciais, mormente, o caderno de encargos, elaborado pelo Instituto Nacional de Estradas de Angola (INEA), e o preço da empreitada", adiantou.

Contudo, o director do gabinete de Gestão de Contratos do Ministério da Construção e Obras Públicas observou que o programa regista uma "grande condicionante financeira" e já com previsões de cortes no orçamento.

"[Para o projecto] havia um prognóstico no Ministério das Finanças de cerca de 350 milhões de dólares. Na primeira fase estão disponíveis 175 milhões de dólares e é o que estamos a tentar fazer. Vamos analisar as propostas e esperamos que, daqui a cerca de um mês, possamos anunciar os vencedores dos concursos e fazer a operacionalização do processo", explicou.

Para Dealdino Balombo as "limitações financeiras irão condicionar a segunda fase do processo".

No entanto, sustentou, "a primeira fase poderá ajudar o país a ter as estradas, de certo modo, circuláveis de Norte a Sul".

O processo de abertura das propostas de empreitadas deve estar concluído esta semana, período em que se dará o início ao das empresas de fiscalização.

Mais Lidas