Kwanza perde mais 11 por cento para o euro e 9 por cento para o dólar

O kwanza depreciou-se esta Terça-feira em mais 11 por cento face ao euro e quase 9 por cento para o dólar norte-americano, no âmbito do novo regime flutuante cambial, segundo cálculos feitos pela Lusa com base nos dados do Banco Nacional de Angola (BNA).
:
  

No espaço de uma semana, e desde que a moeda europeia passou a ser a referência para o mercado de câmbios de Angola, a moeda angolana já acumula uma depreciação de quase 25,5 por cento para o euro, que agora vale, na compra, 248,7 kwanzas, e 18 por cento para o dólar, que passa a valer 203,6 kwanzas.

Desde o primeiro trimestre de 2016 que a taxa de câmbio oficial definida pelo BNA não sofria alterações, nos 166 kwanzas por cada dólar norte-americano e nos 186 kwanzas por cada euro.

Esta nova cotação resulta do leilão de divisas realizado pelo BNA – o segundo desde 9 de Janeiro, no âmbito do novo modelo de definição da taxa de câmbio pelo mercado – no qual participaram 27 bancos comerciais, que compraram os 82,6 milhões de euros que o banco central tinha para vender.

De acordo com informação do BNA consultada pela Lusa, nesta operação foi apurada uma taxa média ponderada de venda de 248,77 kwanzas por cada euro, sendo o valor do dólar e restantes moedas internacionais calculado em função desta cotação.

O banco central explica que contribuíram para o apuramento da taxa de câmbio de referência 14 dos 27 bancos participantes no leilão, tendo a taxa mais alta de compra de cada euro sido de 270,823 kwanzas e a mais baixa de 243,387 kwanzas.

A aquisição ao exterior de matéria-prima, peças, acessórios e equipamento fabril ficou com 60 por cento das divisas colocadas no leilão, seguindo-se os sectores da agricultura, agropecuária, pescas e mar (19 por cento), seguros, telecomunicações, transportes e outros serviços (15 por cento), a aquisição de artigos de higiene, limpeza, material escolar e de escritório (3 por cento) e de vestuário, calçado, artigos e utensílios domésticos (3 por cento).

Para aquisição de bens alimentares, medicamentos e operações privadas, o BNA refere que mantém o mecanismo de vendas directas, via bancos comerciais, fora deste sistema de leilão de preço para aquisição de divisas.

No primeiro leilão deste género, a 9 de Janeiro, o BNA colocou 83,6 milhões de euros em divisas, "montante integralmente absorvido" pelos bancos comerciais que participaram, tendo sido apurada uma taxa média ponderada de venda de 221,26 kwanzas por cada euro, depreciando praticamente 16 por cento, segundo cálculos feitos na altura pela Lusa.

No mesmo dia, o valor para comprar um dólar norte-americano ficou-se nos 185,5 kwanzas, o que por sua vez representou então uma depreciação de mais de 10 por cento para a cotação oficial anterior.

Mais Lidas