Franceses financiam projecto que leva água potável a um milhão de angolanos

O Banco Mundial arranca este ano com um programa de 545 milhões de dólares, com financiamento parcial francês, para expandir a rede de água potável a um milhão de angolanos, entre as populações mais pobres.
:
  

A informação foi prestada esta Sexta-feira, em Luanda, pela representante residente do Banco Mundial em Angola, Clara de Sousa, à margem da assinatura de um contrato de financiamento com a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), para este projecto, no valor de 150 milhões de dólares, que neste caso se estreia a financiar programas em território angolano.

"Este projecto vai continuar a expandir o acesso à água potável às populações, em cidades secundárias, focalizando em áreas periurbanas, onde os pobres estão", explicou Clara de Sousa, à margem da cerimónia que decorreu no Ministério das Finanças.

O público-alvo deste projecto está avaliado em 950.000 pessoas de nove províncias do país, decorrendo o mesmo no âmbito do programa governamental "Água para todos".

"Para além disso, o projecto tem um enfoque grande no fortalecimento das instituições que gerem o sector das Águas, que é, na nossa maneira de ver, a melhor forma de perpetuar a boa gestão do sector", acrescentou a responsável.

O Banco Mundial vai garantir 200 milhões de dólares para o denominado Projecto de Desenvolvimento Institucional do Sector de Águas (PDISA II), enquanto o Governo comparticipa com 95 milhões de dólares, estando já "identificados" outros parceiros internacionais para garantir os 100 milhões de dólares ainda em falta para completar o investimento total necessário, além do apoio da AFD.

Na cerimónia desta Sexta-feira marcou presença o ministro das Finanças, Archer Mangueira, e a directora para a região do sul de África da AFD, Martha Stein-Sochas, que formalizaram ainda, em acordo bilateral, a constituição e início da operação daquela agência francesa em Luanda.

Trata-se de um instrumento de cooperação que resulta do Memorando de Entendimento entre o Governo e a AFD, celebrado a 3 de Julho de 2015, por ocasião da visita a Angola do então Presidente francês, François Hollande.

O apoio ao programa do Banco Mundial é o primeiro investimento da AFD em Angola, mas Martha Stein-Sochas adiantou aos jornalistas que a agência prevê reforçar a operação angolana: "A AFD prevê investir e financiar entre 100 a 200 milhões de dólares por ano em projectos em Angola, nos sectores da Energia, Águas e Agricultura", apontou.

Mais Lidas