Remessas dos imigrantes portugueses sobem 10,28 por cento num trimestre

As remessas dos portugueses que trabalham em Angola subiram 10,28 por cento, passando de 43,95 milhões para 48,47 milhões de dólares entre o primeiro trimestre de 2016 e os primeiros três meses deste ano.
:
  

As remessas enviadas pelos emigrantes a trabalhar nos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) subiram 8,19 por cento no primeiro trimestre deste ano, para 50,7 milhões de dólares, registando-se uma queda de 21,5 por cento em sentido inverso.

Estes dados foram divulgados pelo Banco de Portugal, e mostram que estas evoluções se devem sobretudo às remessas de e para Angola.

Em sentido inverso, os africanos lusófonos a trabalhar em Portugal enviaram para os seus países de origem um total de 10,42 milhões de dólares, o que representa uma queda de 21,55 por cento face aos 13,28 milhões enviados entre Janeiro e Março do ano passado.

Os angolanos a trabalhar em Portugal enviaram para o país, de Janeiro a Março, 3,17 milhões, o que equivale a uma quebra de 43,09 por cento face aos 5,57 milhões enviados no período homólogo.

Mais Lidas