Subscreva a nossa Newsletter e fique a par de todas as novidades no seu email.

*Preencha correctamente.

SUCESSO NO ENVIO

A subscrição da newsletter foi efectuada com sucesso. Obrigado!

Fechar esta notificação

ERRO NO ENVIO

Pedimos desculpa, mas não foi possível efectuar a subscrição.

Agradecemos, por favor, que volte a tentar.

Fechar e voltar a tentar

Nova baía de Luanda a partir de 2014

Artigos Construção

17 de Dezembro de 2013

Está em fase de finalização a compactação dos 494 mil metros quadrados de área de construção da cidade financeira, que vai permitir a edificação de 25 prédios de escritórios e habitação na Baía de Luanda, a partir do próximo ano. A notícia é veiculada pela comunicação social.

O investimento feito ronda os 1,5 mil milhões de dólares e Miguel Carneiro, administrador executivo da Sociedade Baía de Luanda, já apresentou os 12 promotores que apostaram nesta fase do projecto.

Segundo a comunicação social, entra as empresas promotoras do projecto contam-se a Baía Premium; a Cooperativa Essandju – a que está ligado o empresário e homem da cultura, Rui Mingas; o fundo de investimento Odel, com quatro lotes e uma área de construção, a maior, de mais de 161 mil metros quadrados; a Pumangol; a Sanford & Manhattan, numa área de mais de 92 mil metros quadrados; a IHE com mais de 61 mil metros quadrados; ou a Investimo, ligada à construtora Omatapalo, com quase 32 mil metros quadrados para construir escritórios.

Numa notícia do Sol ainda se lê que nesta área, a parcela A do projecto de requalificação da marginal da Baía de Luanda – uma parceria entre Governo central e sector empresarial privado –, e que diz respeito a apenas 30 por cento da totalidade, uma das empresas anunciadas e a Investimo-Omatapalo, reconhecida pela construção recente dos pavilhões multiusos usados no Campeonato do Mundo de Hóquei em Patins, em Luanda e Namibe.

  1. 1